Manual da Segurança: Dispositivo de descida

Artigo: Como entrevistar os colaboradores envolvidos em acidentes de trabalho
6 de Fevereiro de 2019
Zero Acidentes: A importância de uma análise ergonômica no seu trabalho
12 de Fevereiro de 2019

Quando falamos sobre operações de resgate, certamente temos que trazer à tona os dispositivos de descida. Trata-se de um sistema de polias responsável por descer equipes de resgate e de trabalhos em espaços confinados.

Amplamente utilizado por bombeiros, esse equipamento permite que até 2 pessoas sejam descidas em situações de emergência ou não.

Quer aprender mais sobre o dispositivo de descida e a forma correta de utilizá-lo? Continue lendo esse texto e descubra!

A utilização do dispositivo de descida

Diversas pessoas podem utilizar esse equipamento simultaneamente em situações de emergência. Uma das melhores partes sobre o seu uso por leigos é que ele controla a velocidade de descida automaticamente, precisando somente estar instalado.

Vale ressaltar que esse é um dispositivo desenhado unicamente para descidas e não com finalidade de travamento de quedas. Existem equipamentos específicos para essa finalidade e que tem a capacidade de suportar solavancos maiores.

O QUE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO ANTES DE USAR

Como todo equipamento, antes de utilizá-lo deve-se verificar:

  • Capacidade: seja referente ao comprimento do cabo de descida ou mesmo ao peso que ele é capaz de suportar;
  • Distância e/ou número de descidas: esse item irá variar de acordo com cada modelo de dispositivo de descida;
  • Velocidade de descida: irá variar de acordo com a quantidade de pessoas, 0,6-0,9 m/s e 0,6-1,2 m/s, para 1 e 2 pessoas respectivamente;
  • Áreas de risco: o uso desse equipamento em áreas de riscos pode exigir precauções adicionais para reduzir a possibilidade de ferimentos ao usuário ou danos ao equipamento;
  • Treinamento: esse dispositivo somente pode ser usado por profissionais treinados em sua utilização.

Vale ressaltar também que se deve verificar a compatibilidade de todos os componentes utilizados no sistema.

Uma vez que todos esses pontos estejam de acordo com as normas de segurança, é necessário pensar nos seguintes itens:

  • Planejar como o sistema de escape será utilizado antes de iniciar o trabalho;
  • Selecionar um ponto de ancoragem com capacidade de suportar a carga;
  • Rota de descida livre na área de aterrissagem;
  • Testar o sistema a fim de identificar problemas;
  • Evitar usar o equipamento em locais que a corda pode passar em bordas afiadas.

No que diz respeito a inspeção do equipamento, é extremamente importante realizar a verificação de segurança sempre antes de utilizá-lo. Se o mesmo for armazenado em uma maleta resistente a umidade inspeções mensais e anuais são dispensadas.

Anualmente o equipamento deve ser verificado por uma pessoa qualificada, além disso, anualmente o dispositivo de descida deve ser enviado a uma central de serviços da fabricante a fim de ser inspecionado a cada 5 anos.

Quer saber mais sobre o dispositivo ou outros temas relacionados à Segurança do Trabalho? Deixe uma sugestão via e-mail ou pelo Facebook e aproveite para entrar em contato conosco para tirar dúvidas.

E-mail: marketing@bunzlepi.com.br

Lembre-se: sempre verifique o CA antes de usar o EPI.