Artigo: Como criar uma cultura de segurança do trabalho em 3 passos

Zero Acidentes: Faça a aplicação das penas legais pela não utilização dos equipamentos de proteção
26 de Março de 2019
Manual da Segurança: Talabarte
28 de Março de 2019

Como criar uma cultura de segurança do trabalho em 3 passos?

Construir uma cultura de segurança do trabalho de forma efetiva não é uma tarefa fácil. É necessário criar intervenções, conversar com os interessados, isto é, trabalhadores e estar sempre atento às métricas de acidente de trabalho do negócio.

Apesar de hoje em dia o número (e gravidade) dos acidentes de trabalho terem diminuído de forma vertiginosa, ainda é necessário que os gestores assim como os órgãos reguladores se atentem a situações de descaso.

Dentre os setores com maior número de acidentes estão a indústria e os serviços. Dessa forma, podemos dizer que uma parcela considerável do mercado ainda necessita considerar mudanças em sua cultura organizacional.

Curioso para saber mais sobre essa temática? Bem, continue lendo esse texto, falaremos mais sobre isso!

O QUE É A CULTURA DE SEGURANÇA DO TRABALHO?

Caso você não esteja familiarizado com essa terminologia, é bem possível que não tenha entendido muito bem o que seria essa cultura de segurança do trabalho.

Bem, a palavra cultura traz consigo um conjunto de atitudes e costumes que pode ser de um único indivíduo ou de um grupo de pessoas. Quando esse conceito entra em contato com o de ambiente de trabalho e também com o de segurança de trabalho, é relativamente simples ver qual o resultado.

Sendo ainda mais direto, a cultura de segurança do trabalho nada mais é que os hábitos compartilhados por um grupo dentro do ambiente empresarial. Isso acontece, pois, esse grupo compartilha de um conjunto de ideias e conceitos que são comuns, criando um padrão.

Isso não necessariamente indica que são bons ou maus costumes. Essa é tão somente uma terminologia genérica.

Apesar da sua neutralidade, nenhum gestor espera que seus colaboradores tenham uma cultura organizacional que seja prejudicial aos mesmos e a empresa, nesse sentido, criam-se regras e se fazem ações de conscientização sobre sua própria segurança quando inseridos naquele cenário.

É necessário que o responsável pelos funcionários tenha uma visão quase holística a respeito de todo o funcionamento da empresa e seus processos. Dessa forma, é possível realizar uma análise efetiva e identificar todos os pontos falhos, criando ações para solucioná-los.

Até porque, como deixamos claro acima, cultura não é tão somente seguir ordens, muito pelo contrário, é algo intrínseco dentro da empresa e deve ser modificado pelo mindset dos trabalhadores.

COMO CRIAR A CULTURA DE SEGURANÇA

A cultura de segurança não é um pacote de extensão facilmente acrescentado a mente dos trabalhadores. É algo galgado em todos os níveis hierárquicos. Envolve tanto o comprometimento e envolvimento dos colaboradores com a empresa quanto a perseverança dos líderes.

Alguns fatores também devem ser levados em consideração para garantir sucesso nessa empreitada:

  • Melhoria contínua em segurança do trabalho, procurando manter todos atualizados sobre a temática;
  • Ter em mente as leis vigentes;
  • Prevenção vem sempre na frente;
  • Aprender novas rotinas também é fundamental para implementar melhorias;
  • Ser sempre transparente, aumentando, inclusive o sentimento de participação dos colaboradores;
  • Investir, afinal de contas, poucos objetivos do ambiente empresarial são conquistados sem recursos financeiros.

Todo esse investimento fará com que  a cultura da segurança nasça diretamente da cultura organizacional, afinal de contas, todos os colaboradores terão como foco principal a prevenção.

OS 3 PASSOS PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA CULTURA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Agora que já devaneamos bastante a respeito da cultura organizacional e a sua relação com o mindset dos trabalhadores e também com o nascimento da cultura da segurança, podemos partir para como fazer esta última acontecer.

São 3 passos em teoria simples, contudo, você verá que eles têm diversas facetas:

  • Bons profissionais de segurança do trabalho

Não há para onde correr, de modo geral, o agente da mudança é o próprio colaborador. Nesse sentido, a equipe reunida para lidar com as questões de segurança do trabalho deve ser bastante competente e não somente, ser bastante proativa e comprometida com os resultados.

Essa equipe deve estudar a cultura organizacional atualmente vigente, preparar e implementar um Sistema de Gestão em Segurança do Trabalho (SGST). Isso porque, mudanças bruscas podem ser rejeitadas pelos profissionais e essas devem envolver:

  • Políticas adequadas;
  • Um sistema de controle de fluxo intuitivo;
  • Fluxo de informações eficiente dentro do ambiente de trabalho;
  • Criação de um ambiente motivador;
  • Promover a interação entre os colaboradores; dentre outros fatores.
  • Envolvimento dos colaboradores na construção da cultura de segurança

Será que os funcionários se sentem parte da construção de um ambiente de trabalho seguro?

Qual é a sua postura referente às ações de prevenções em andamento e aquelas que estão sendo implementadas?

Caso essas respostas não tendam a ser positivas, isso se deve justamente a falta de engajamento com essas ações. Dessa forma, esses indivíduos devem sentir-se engajados com a criação dessa nova cultura.

Isso fará com que todos sejam divulgadores dessa cultura e não empecilhos.

  • A liderança também tem seu papel

Aqueles gestores que tem completa noção da importância da segurança do trabalho tanto para a própria empresa quanto para os colaboradores terão sempre iniciativa para fazer com que a cultura da segurança aconteça.

Uma liderança ativa vai motivar os colaboradores a atingir os objetivos que forem traçados em conjunto. Transmitindo a confiança que todos estão caminhando junto ao rumo certo.

Sempre dando ênfase a comunicação, afinal, é dessa forma que relações colaborativas são construídas. Assim como apontamos no ponto 2, envolver os colaboradores gera engajamento e, por conseguinte, serve como fator de divulgação de bons hábitos de segurança do trabalho.

Quer saber mais sobre a cultura de segurança? Deixe uma sugestão via e-mail ou pelo Facebook e aproveite para entrar em contato conosco para tirar dúvidas.

E-mail: marketing@bunzlepi.com.br

Lembre-se: sempre verifique o CA antes de usar o EPI.