Saúde Mental em tempos de Coronavírus: é preciso ficar atento!

ISO 45001: a certificação que vem para substituir a OHSAS 18001
29 de abril de 2020
Você sabe quais os riscos da Vibração Ocupacional? Fique de olho aos cuidados e EPIs indicados!
19 de Maio de 2020

Não é de hoje que um grande número de trabalhadores sofre com problemas de saúde mental – em 2016, por exemplo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) registrou mais de 75 mil trabalhadores afastados por depressão, e a instituição também já nos alertou sobre esta ser a doença que gera mais incapacidade em 2020. São dados como estes que nos alertam sobre a importância de prestar atenção na saúde mental de cada profissional. Em tempos de Coronavírus (COVID-19), esse desafio é ainda maior.

Desde o início da pandemia, anunciado pela OMS, pessoas e empresas passam diariamente por transformações necessárias em suas rotinas e hábitos. Temos cidadãos preocupados por não poderem ficar em casa, funcionários trabalhando de home office, escolas, universidades e comércios fechados. Ao mesmo tempo, temos milhares de profissionais das áreas de saúde, saneamento básico, segurança, entre outros serviços, que continuam nas ruas cumprindo com suas missões para manter a sociedade protegida e o país em funcionamento.

Diante deste cenário, onde fica a saúde mental? Além de um cuidado imprescindível com a saúde física, é preciso dar uma atenção especial à mente, pois é em momentos como este que pessoas atingem níveis de estresse e ansiedade excessivos – o que além de afetar o psicológico, ainda desestabiliza o sistema imunológico.

O primeiro grupo pode sofrer com as crises de ansiedade e depressão, pode ser o dos profissionais da saúde, uma vez que são a linha de frente no combate ao vírus, e precisam lidar diariamente com o estresse, a pressão psicológica e os riscos da doença. Neste caso, é essencial que tenhamos empatia; a comunicação se torna um dos pilares mais importantes, andando lado a lado com a proteção destes trabalhadores – algo a que nos dedicamos tanto. Em seguida, está o segundo grupo, que envolve todos os demais trabalhadores e pessoas.

Com um cenário como este, a saída é estar atento aos sinais do corpo e da mente, e trabalhar para garantir as melhores condições para enfrentarmos este grande desafio. Ficam, com isso, dois pontos importantes:

1) As empresas, de forma geral, precisam garantir pelo menos as condições adequadas de trabalho, e todo o suporte necessário para a execução diária das funções, tanto para aqueles que ainda atuam nas ruas, quanto para os que estão cumprindo com suas funções em home office. É necessário avaliar a forma como lidamos com os desafios da rotina diária de trabalho, considerando pedir ajuda médica sempre que necessário.

2) Os profissionais precisam respeitar os limites de sua saúde física e mental. Para isso, a OMS, governos e entidades profissionais divulgaram uma série de recomendações que precisam ser seguidas para amenizarmos as consequências deste pandemia, como:
– Evitar o consumo excessivo de informações, seguindo sempre fontes fidedignas;
– Manter uma rotina com pausas e hábitos saudáveis para o corpo e a mente, evitando o esgotamento;
– Faça exercícios, beba bastante água, se alimente bem e evite o consumo excessivo de álcool e outras drogas, buscando manter a circulação de ar nos ambientes em que estiver.
– Todas as recomendações devem ser reforçadas aos profissionais da saúde.

Com alguns cuidados, poderemos passar com menos consequências pelos desafios propostos pela pandemia. E, diante de tudo isso, continuem contando com a Casa do EPI como suporte para a proteção e segurança para todos os profissionais. É da área de saúde e precisa de EPIs? Fale com a gente.